quarta-feira, 26 de março de 2014

Ô loco meu: Fausto Silva passou por 6 rádios antes de ir para a TV; relembre

Se quem sabe faz ao vivo, Faustão sabe muito bem. Ele comemora 25 anos à frente do ‘Domingão’, na Globo, nesta quarta-feira, 26, e acumula experiências diversas na imprensa. Nascido em Porto Ferreira, interior paulista, ele atua desde os 14 anos nos ramos da reportagem e do entretenimento, com passagens por várias emissoras de rádio e TV. A primeira investida como repórter foi na Rádio Centenário, de Araras (SP), e a como locutor foi em 1964 nas rádios Cultura e Brasil, de Campinas, também no interior do estado.
O comunicador do horário nobre da TV chegou a cursar Direito na Pontifícia Universidade Católica, mas abandonou o curso no quarto ano e passou a dedicar-se ao universo jornalístico. Ele acompanhava os jogos narrados pelo locutor Osmar Santos na Rádio Excelsior, até o fim da década de 1960 e ainda fazia a cobertura direto dos gramados para as rádios Brasil e Globo.
fausto-reporterElogiado por seu desempenho durante as transmissões, Faustão ganhou destaque no meio e aprendeu a lidar com situações inesperadas. “O rádio mexe com o imaginário das pessoas, com toda essa fantasia do público, e, principalmente, exige essa coisa do improviso. Isso acabou me ajudando muito, depois, quando fui trabalhar em jornal e, principalmente, na televisão”, avaliou Faustão em depoimento ao site Memória Globo, que traçou o perfil do profissional em 2006.
A área de atuação profissional foi ampliada em 1969, quando foi convidado pelo apresentador Blota Júnior para trabalhar na reportagem da Rádio Record, e passou a acompanhar assuntos como política e economia, além da cobertura dos fatos da cidade.

O retorno à cobertura de jogos de futebol aconteceu em 1971, pela Jovem Pan, onde passou a participar das mesas-redondas da emissora e a viajar para cobrir campeonatos como Libertadores da América e Copa do Mundo. O repórter exerceu as atividades até 1978, quando, junto com Osmar Santos, passou a integrar a equipe de esportes da Rádio Globo. Nesse tempo, foi convidado para fazer parte do Estadão, jornal em que permaneceu até 1984.
O primeiro contato com a Rede Globo foi como comentarista de esportes do’ Bom Dia São Paulo’, em 1982, período em que ainda atuava como repórter esportivo do Sistema Globo de Rádio. “Foi uma experiência muito boa. Era um jornal de linguagem muito dinâmica, um laboratório para o telejornalismo brasileiro. E, ali, eu consegui impor o meu jeito, o meu estilo, levando o jogador de manhã, gente do esporte, de madrugada, quando ninguém acreditava”, lembrou.
Em março de 1983, passou a apresentar o ‘Balancê’, programa de humor da Rádio Excelsior criado por Osmar Santos. O sucesso projetou Fausto para sua primeira atração de entretenimento na televisão, o ‘Perdidos na Noite’, da TV Record, transmitido nas madrugadas de sábado. Depois de passagem pela Gazeta, a TV Bandeirantes passou a exibir a atração para todo o país em 1986.
“O 'Perdidos' era um painel da realidade brasileira”, enfatizou Fausto, que imprimiu seu estilo debochado com piadas e expressões que inovavam o meio televisivo da época. Em 1987, ainda na Band, apresentou o programa ‘Safenados e Safadinhos ‘, até transferir-se para a Globo, onde comanda o ‘Domingão do Faustão’ desde março de 1989. Apesar de estar à frente de um conteúdo de entretenimento, Fausto frequentemente ressalta que é jornalista - tecendo críticas e elogios ao jornalismo atual e a personalidades.
Imagem: Fausto Silva durante os tempos de repórter esportivo (Portal Terceiro Tempo)

Fonte: Comunique-se

Nenhum comentário:

Postar um comentário