sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Estudo estima ano da morte dos jornais impressos no Brasil



O ano de 2027 marcará um momento importante para a história dos jornais no Brasil. É o que aponta recente estudo realizado pela Future Exploration Network. De acordo com o centro de consultoria americana, nesta data não haverá mais diários impressos no país.

Publicação do Grupo Lance, Jornal Mais entrou para a lista dos extintos no mês passado (Imagem: Reprodução)Segundo o levantamento, o fim dos jornais chegará primeiro aos Estados Unidos, que não deverá mais trabalhar com a mídia em 2017. Já a Argentina resistirá mais ao fim, que deve acontecer em 2039. Mais de 20 países fazem parte do estudo.

Para o Future Exploration Network, existem motivos para que a "crise" coloque fim nos impressos. Nacionalmente falando, a previsão será confirmada de acordo com o desenvolvimento econômico, urbano e desigualdade de riqueza. Outros fatores determinantes são: absorção da tecnologia, desenvolvimento da banda larga, penetração de smartphones e tablets, receita de publicidade no jornal, suporte para a mídia, censura e comportamento do consumidor.

Em termos globais, o que vai pesar é o aumento de custo na fabricação de e-readers, tablets e smartphones. Além do desenvolvimento do papel digital, modernização de mecanismos digitais, tendências de publicidade e mudança na produção e custos do jornal.

Nos últimos anos, o Brasil presenciou a morte de alguns impressos, como o Jornal da Tarde, Marca Brasil e Mais Esportes, que foram extintos, e o Jornal do Brasil, que deixou de circular a versão impressa para apostar apenas no digital.




Fonte: Comunique-se

Nenhum comentário:

Postar um comentário