domingo, 16 de junho de 2013

PM impede invasão no Maracanã e atira com bala de borracha e bombas




Direto do Rio de Janeiro
Fotógrafo cai no chão após ser atingido por gás lacrimogêneo Foto: Mônica Garcia / Artevista Comunicação, Assessoria e Empreendimentos Culturais Ltda - Especial para o Terra
Fotógrafo cai no chão após ser atingido por gás lacrimogêneo
Foto: Mônica Garcia / Artevista Comunicação, Assessoria e Empreendimentos Culturais Ltda - Especial para o Terra



Policiais Militares e manifestantes entraram em confronto na tarde deste domingo, na região do Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Um grupo de aproximadamente 3 mil pessoas protestavam contra a má administração pública no País, quando teve início um confronto no viaduto Oduvaldo Cozzi, que liga a estação São Cristóvão ao Estádio.



Confira todos os vídeos da Copa das Confederações

Clique no link para iniciar o vídeoVeja relato de manifestante no estádio do jogo do Brasil



Durante o confronto, o fotógrafo Luiz Roberto Lima, das agências Estado e O Globo, passou mal por conta de gás lacrimogêneo. O profissional foi socorrido por companheiros da imprensa e por um policial da Força Nacional, que atuava no local.



Durante a concentração do protesto, os manifestantes prometiam um ato pacífico, mas não abriam mão de chegar até a porta do estádio. A polícia reforçou o bloqueio na região da estação São Cristóvão, o que prejudicou a chegada de alguns torcedores que passavam pelo local.



Com a confusão, a estação, uma das principais para o desembarque de torcedores, chegou a ser fechada.



"O protesto é apartidário e foi convocado pela internet. Queremos um movimento pacífico", afirmou Adolfo Vieira Tavares, estudante de direito e um dos líderes do movimento. O grupo se dirigiu para a rua Gerenal Canabarro e reclamava pelo "direito de ir e vir".



A expectativa dos organizadores é que o protesto reúna de 6 a 7 mil pessoas. Os manifestantes carregam cartazes com diversas reivindicações, inclusive pedindo a redução do preço das passagens.



Palavras de ordem contra o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes foram gritadas pelo grupo. A letra da música Que País é Este, do Legião Urbana, também foi entoada pelo grupo.




Em dia de golaço de Neymar, Brasil vê onda de protestos e vaias a Dilma






Nenhum comentário:

Postar um comentário